Viajar é sagrado. A humanidade viaja desde a noite dos tempos em busca de caça, de pasto, de climas mais amenos. São raros os homens que conseguem compreender o mundo sem sair de suas cidades. Quando você viaja – e eu não estou falando em turismo, mas na experiência solitária da viagem – quatro coisas importantes acontecem em sua vida:

a) Você está em um lugar diferente. Então, as barreiras protetoras já não existem mais. No começo, isso dá medo, mas em pouco tempo você se acostuma e passa a entender quanta coisa interessante existe além dos muros de seu jardim.

b) Porque a solidão pode ser muito grande e opressora, você está mais aberto a pessoas com quem nunca trocaria uma palavra se estivesse em sua casa – garçons, outros viajantes, empregados de hotel, o passageiro sentado ao seu lado no ônibus.

c) Você passa a depender dos outros para tudo: arranjar um hotel, comprar algo, saber como tomar o próximo trem. Descobre então que nada há de errado em depender dos outros – muito pelo contrário, isso é uma bênção.

d) Você está falando uma língua que não compreende, usando um dinheiro que não sabe o valor, caminhando por ruas que nunca passou antes. Você sabe que o seu eu antigo, com tudo que aprendeu, é absolutamente inútil diante desses novos desafios e começa a descobrir que, enterrado lá no fundo do seu inconsciente, existe alguém muito mais interessante, aventureiro, aberto para o mundo e para experiências novas.

Viajar é a experiência de deixar de ser quem você se esforça para ser e se transformar naquilo que você realmente é!”

Paulo Coelho


steepledfingers23:

Probably my fave book

steepledfingers23:

Probably my fave book


The past can’t hurt you anymore, not unless you let it.
Alan Moore, V for Vendetta (via observando)


(via sssshy)


(via sssshy)




(via r2--d2)


(via r2--d2)


(via inversus)


vurtual:

Facebook Update (by Marsel van Oosten)

vurtual:

Facebook Update (by Marsel van Oosten)


fohk:

Text Over Film

fohk:

Text Over Film

(via fluoxe)


(via fluoxe)